registo

o registo na plataforma de encomenda é exclusivo para arquitectos inscritos na ordem dos arquitectos ou outra associação congénere.

notícia • 2018-12-14 20 projectos portugueses finalistas do prémio Mies van der Rohe 2019
Imagem 0 - 20 projectos portugueses finalistas do prémio Mies van der Rohe 2019

 

Dos 383 projectos finalistas ao prestigiado Prémio de Arquitectura Contemporânea da União Europeia – Prémio Mies van der Rohe Mies van der Rohe 2019, 20 são portugueses:
 
Lista de obras em Portugal
-Centro de Artes de Águeda (AND-RÉ)
-Capela do Monte (Siza Vieira)
-Centro Interpretativo do Vale do Tua (Rosmaninho + Azevedo Arquitectos)
-Aproveitamento Hidroeléctrico de Foz Tua (Souto de Moura)
-Casa do Caseiro (Camilo Rebelo Arquitectos)
-Capela da Nossa Senhora de Fátima (Plano Humano)
-FPM41 (Barbas Lopes)
- Palácio Barão de Santos (Barbas Lopes)
-Casa na Rua do Quelhas (Inês Lobo)
-Praça Fonte Nova (José Adrião Arquitectos)
-Teatro Luís de Camões (Manuel Graça Dias + Egas José Vieira, Arquitectos)
-Terminal de Cruzeiros de Lisboa (Carrilho da Graça)
-Capela da Luz Eterna (Bernardo Rodrigues)
-Casa Rotativa (Pedro Bandeira)
-Casa na Rua do Paraíso (FALA)
-Jardim Botânico do Porto: Reabilitação da Casa Andresen e Estufas, e Reabilitação da Casa Salabert (Nuno Valentim Arquitectura)
-Hotel Rural Casa do Rio (Menos é Mais Arquitectos)
 
Lista de obras no Estrangeiro
-Igreja de Saint-Jacques-de-la-Lande em Rennes, França (Siza Vieira)
-Faculdade de Arquitetura em Tournai, Bélgica (Aires Mateus)
-Capela do Vaticano para a Bienal de Veneza 2018 (Souto de Moura)
 
O Júri, liderado por Dorte Mandrup,George Arbid, Angelika Fitz, Ștefan Ghenciulescu,Kamiel Klaasse, María Langarita e Frank McDonald serão agora responsáveis por uma nova selecção de obras, reduzindo para 40 os projectos candidatos, isto antes de serem escolhidos os 5 finalistas.
 
Os vencedores serão conhecidos a 7 de maio.
 
O Prémio de Arquitectura Contemporânea da União Europeia – Prémio Mies van der Rohe foi lançado em 1987 pelo Município de Barcelona e a Comissão Europeia. Trata-se de um prémio que é atribuído de dois em dois anos e tem um valor de 60.000 €.
 
Na primeira edição do prémio, em 1988, o projecto do arquitecto português Álvaro Siza para o antigo Banco Borges e Irmão, em Vila do Conde, foi o distinguido.
 
mais informação AQUI