registo

o registo na plataforma de encomenda é exclusivo para arquitectos inscritos na ordem dos arquitectos ou outra associação congénere.

notícia • 2017-12-15 Manuel Aires Mateus vence Prémio Pessoa 2017
Imagem 0 - Manuel Aires Mateus vence Prémio Pessoa 2017

 

Manuel Aires Mateus nasceu em 1963, em Lisboa. Licenciou-se na Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa em 1986 e o primeiro trabalho foi com o arquiteto Gonçalo Byrne, com quem colaborou de 1983 a 1988. Foi professor na Graduate Scholl of Desing de Harvard e, atualmente, leciona na Accademia di Architettura de Mendrisio, na Suíça, onde, nas palavras do presidente do júri, “desenvolve uma atividade pedagógica cujos resultados integra nos seus projetos”.
 
Francisco Pinto Balsemão, presidente do Júri, descreveu a arquitectura de Aires Mateus como “moderna abstracta e contemporânea”, mas que parte de “uma recolha de formas e materiais vernaculares portugueses, que integra de modo exemplar”. “A construção de formas e volumes é feito com carácter inovador por subtracção da matéria, esculpindo vazios e contrariando assim o sentido clássico do projectar.”
 
É a terceira vez que o júri Prémio Pessoa distingue um nome da arquitectura portuguesa. Depois de Souto Moura e de Carrilho da Graça, as atenções deste ano voltaram-se de novo para esta área, atribuindo a Manuel Aires Mateus um lugar na vasta lista de distinguidos.
 
O júri integrou este ano Francisco Pinto Balsemão (presidente), Emídio Rui Vilar (vice-presidente), Ana Pinho, António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, Eduardo Souto de Moura, José Luís Porfírio, Maria Manuel Mota, Maria de Sousa, Pedro Norton, Rui Magalhães Baião, Rui Vieira Nery e Viriato Soromenho-Marques.
 
O galardão distingue anualmente uma personalidade portuguesa que tenha tido uma “intervenção particularmente relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica”. Esta é a 31.ª edição do Prémio Pessoa, uma iniciativa anual do jornal Expresso, com o patrocínio da Caixa Geral de Depósitos e tem uma dotação em dinheiro no valor de 60 mil euros. O vencedor da edição do ano passado foi o tradutor e classicista Frederico Lourenço.