registo

o registo na plataforma de encomenda é exclusivo para arquitectos inscritos na ordem dos arquitectos ou outra associação congénere.

Conjunto Habitacional da Quinta do Olho de Vidro, Almada

concurso

Conjunto Habitacional da Quinta do Olho de Vidro, Almada

data de entrega 2020-03-02
promotor IHRU – Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I.P.
localização Caparica
programa Habitação
área 2,530m²

descrição

NOVA DATA: Propostas até 2 de março de 2020
 
O concurso público de conceção para a Elaboração do Projeto do Conjunto Habitacional da Quinta do Olho de Vidro - OP_07, no Plano Integrado de Almada, é promovido pelo IHRU – Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I.P. e conta com a assessoria técnica da OASRS.
 
O presente programa visa a conceção de um projeto de arquitetura e respetivas especialidades para Habitação a Custos Controlados em Almada, e é a primeira ação a desenvolver que se integra no processo do Projeto Habitacional de Almada Poente (PHAP) em terrenos pertencentes ao Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU, IP).
 
Com vasta experiência no desenvolvimento urbano nesta área de Almada e com conhecimento acumulado no setor da habitação económica, o IHRU, IP com a assessoria da Ordem dos Arquitetos – Secção Regional Sul, propõe-se desenvolver um conjunto de concursos públicos para a elaboração dos projetos de habitação. O IHRU IP, procura que o presente procedimento se revele, ainda, como uma referência de boas práticas no setor da Habitação a Custos Controlados.
 
Esta ação procura dar resposta à necessidade de habitações para arrendamento a preços inferiores ao atualmente praticado no mercado, contribuindo para aumentar o acesso à habitação por um maior número de famílias, que não encontram resposta no mercado imobiliário às suas necessidades.
 
Para a concretização desta proposta será necessário reduzir ao máximo o custo das habitações, maximizando a área de construção.
 
Todas as localizações previstas no PHAP correspondem a situações quer de “falhas” no tecido edificado, quer de carência de remate das estruturas construídas, procurando-se com a presente promoção uma abordagem no sentido de promover a consolidação do espaço urbano.
 
Os novos empreendimentos, como é o caso presente, devem inserir-se na malha urbana existente e constituírem-se como elementos estruturantes reforçando a qualidade do espaço público em que se inserem, com uma imagem bem integrada do ponto de vista arquitetónico e que alcance um impacto público positivo.
 
 
Valor máximo para o custo da obra: € 2.355.000,00 + IVA
Valor base: € 199.360,00 + IVA
 
Prémios
1º Prémio: € 8 000,00 (oito mil euros)
2º Prémio: € 4 000,00 (quatro mil euros)
3º Prémio: € 2 500,00 (dois mil e quinhentos euros)
 
Júri
Membros efetivos:
a)  Luís Maria Vieira Pereira Roxo Gonçalves, arquiteto, vogal do Conselho Diretivo do IHRU, I.P., que preside;
b)  Maria Paula Pereira, engenheira, diretora da Direção de Gestão do Sul (DGS) do IHRU, I.P.;
c)  Aurelina Viegas, arquiteta, indicada pelo IHRU, I.P.;
d)  José Estanislau Graça Lopes Fonseca, engenheiro, indicado pela Câmara Municipal de Almada;
e)  Pedro Appleton, arquiteto, indicado pela Ordem dos Arquitectos Secção Regional Sul.
 
Membros suplentes:
a)  Margarida Dinis Cavaleiro, arquiteta, indicada pelo IHRU, I.P.;
b)  Ana Sofia Simões Alves Ferreira Navalho, engenheira, indicado pela Câmara Municipal de Almada;
c)  Hugo Guerreiro, arquiteto, indicado pela Ordem dos Arquitectos Secção Regional Sul.
 
 
Critérios de seleção
a)  Qualidade da solução (60%), compreendendo os seguintes subfactores:
i)   Qualidade estética e coerência global da solução concetual (30%);
ii)  Adequação da solução programática e funcional com os objetivos definidos no Anexo I (30%);
iii)  Inovação e pertinência da solução concetual (20%);
iv) Integração e articulação da proposta com o território e sistemas envolventes (20%).
 
b)  Exequibilidade da solução (40%), compreendendo os seguintes subfactores:
i)   Adequabilidade do sistema construtivo e dos materiais propostos (40%);
ii)  Sustentabilidade da solução, nomeadamente no que concerne aos aspetos ambientais e de manutenção futura (30%);
iii)  Exequibilidade financeira da proposta (30%).
 
Cronograma
Data limite para pedidos de esclarecimento: 22.01.2020
Data limite para respostas aos pedidos de esclarecimento: 11.02.2020
Data limite para entrega de propostas: (17:00h) 02.03.2020

Documentação