registo

o registo na plataforma de encomenda é exclusivo para arquitectos inscritos na ordem dos arquitectos ou outra associação congénere.

Conjunto Habitacional de Alfazina, Almada

concurso

Conjunto Habitacional de Alfazina, Almada

data de entrega 2020-04-01
promotor IHRU – Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I.P.
localização Caparica
programa Habitação
área 15,080m²

descrição

NOVA DATA: Propostas até 1 de abril de 2020
 
O concurso público de conceção para a Elaboração do Projeto do Conjunto Habitacional de Alfazina - OP_10, no Plano Integrado de Almada é promovido pelo IHRU – Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I.P. e conta com a assessoria técnica da OASRS.
 
O presente programa visa a conceção de um projeto de arquitetura e respetivas especialidades para Habitação a Custos Controlados em Almada, e é a primeira ação a desenvolver que se integra no processo do Projeto Habitacional de Almada Poente (PHAP) em terrenos pertencentes ao Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU, IP).
 
Com vasta experiência no desenvolvimento urbano nesta área de Almada e com conhecimento acumulado no setor da habitação económica, o IHRU, IP com a assessoria da Ordem dos Arquitetos – Secção Regional Sul, propõe-se desenvolver um conjunto de concursos públicos para a elaboração dos projetos de habitação. O IHRU IP, procura que o presente procedimento se revele, ainda, como uma referência de boas práticas no setor da Habitação a Custos Controlados.
 
Esta ação procura dar resposta à necessidade de habitações para arrendamento a preços inferiores ao atualmente praticado no mercado, contribuindo para aumentar o acesso à habitação por um maior número de famílias, que não encontram resposta no mercado imobiliário às suas necessidades.
 
Para a concretização desta proposta será necessário reduzir ao máximo o custo das habitações, maximizando a área de construção.
 
Todas as localizações previstas no PHAP correspondem a situações quer de “falhas” no tecido edificado, quer de carência de remate das estruturas construídas, procurando-se com a presente promoção uma abordagem no sentido de promover a consolidação do espaço urbano.
 
Os novos empreendimentos, como é o caso presente, devem inserir-se na malha urbana existente e constituírem-se como elementos estruturantes reforçando a qualidade do espaço público em que se inserem, com uma imagem bem integrada do ponto de vista arquitetónico e que alcance um impacto público positivo.
 
 
Valor máximo para o custo da obra: € 13.200.000,00 + IVA
Valor base: € 718.360,00 + IVA
 
Prémios
1º Prémio: € 10 000,00 (dez mil euros)
2º Prémio: € 5 000,00 (cinco mil euros)
3º Prémio: € 3 000,00 (três mil euros)
 
Júri
Membros efetivos:
a)  Luís Maria Vieira Pereira Roxo Gonçalves, arquiteto, vogal do Conselho Diretivo do IHRU, I.P., que preside;
b)  Paulo Reis, engenheiro, coordenador do Departamento de Reabilitação Urbana do Sul (DRUS) do IHRU, I.P.;
c)  Pedro Luís Dias da Silva Durand, arquiteto, indicada pelo IHRU, I.P.;
d)  Ana Sofia Simões Alves Ferreira Navalho, engenheira, indicado pela Câmara Municipal de Almada;
e)  Luís Pedra Silva, arquiteto, indicado pela Ordem dos Arquitectos Secção Regional Sul.
 
Membros suplentes:
a)  Aurelina Viegas, arquiteta, indicada pelo IHRU, I.P.;
b)  Jorge Manuel Caldeira Barroso, engenheiro, indicado pela Câmara Municipal de Almada;
c)  Joana Vilhena, arquiteta, indicada pela Ordem dos Arquitectos Secção Regional Sul.
 
 
Critérios de seleção
a)  Qualidade da solução (60%), compreendendo os seguintes subfactores:
i)   Qualidade estética e coerência global da solução concetual (30%);
ii)  Adequação da solução programática e funcional com os objetivos definidos no Anexo I (30%);
iii)  Inovação e pertinência da solução concetual (20%);
iv) Integração e articulação da proposta com o território e sistemas envolventes (20%).
 
b)  Exequibilidade da solução (40%), compreendendo os seguintes subfactores:
i)   Adequabilidade do sistema construtivo e dos materiais propostos (40%);
ii)  Sustentabilidade da solução, nomeadamente no que concerne aos aspetos ambientais e de manutenção futura (30%);
iii)  Exequibilidade financeira da proposta (30%).
 
Cronograma
Data limite para pedidos de esclarecimento: 01.02.2020
Data limite para respostas aos pedidos de esclarecimento: 02.03.2020
Data limite para entrega de propostas: (17:00h) 01.04.2020

Documentação