registo

o registo na plataforma de encomenda é exclusivo para arquitectos inscritos na ordem dos arquitectos ou outra associação congénere.

Parque Urbano Cruz do Montalvão, Castelo Branco

concurso

Parque Urbano Cruz do Montalvão, Castelo Branco

concluído 2016-06-14
promotor C.M. Castelo Branco
localização Castelo Branco
programa Parque urbano
área 21,000m²

descrição

Foram apresentadas 19 propostas ao Concurso de Concepção para a Elaboração do Projecto para o Parque Urbano da Cruz de Montalvão, um procedimento promovido pela Câmara Municipal de Castelo Branco, com a assessoria da Secção Regional da Ordem dos Arquitectos, desenvolvendo-se numa área com 21 hectares dentro dos limites da cidade e com o objectivo de explorar e abordar as necessidades de funcionalidade e sustentabilidade de um novo parque urbano, conduzindo à criação de novos discursos sobre a cidade, o território e a paisagem.

O projecto deverá consolidar esta área da cidade e representar uma marca de referência regional e local, a partir das respostas apresentadas a questões de particular exigência no local de implantação do parque integrando valências paisagísticas, ambientais, equipamentos e circulação através da criação de um espaço multifuncional contemporâneo com uma programação de arte urbana que permita a dinamização do espaço público.

A proposta coordenada pela arquitecta paisagista Verónica Ribeiro de Almeida foi a primeira classificada no Concurso de Concepção para a Elaboração do Projecto para o Parque Urbano da Cruz de Montalvão, em Castelo Branco. De acordo com o relatório final do Júri “a proposta organiza de forma clara uma hierarquia de trajectos que emergem da grande artéria verde diagonal. Esta artéria verde faz prolongar um trajecto urbano enunciado que se torna protagonista de todo o sentido da intervenção. É sobre este eixo, com a inteligência de se fazer marcar sobre um percurso de pé posto existente, que surgem os elementos do parque”.

O 2.º prémio foi obtido pela equipa coordenada pelo arquitecto José Adrião, uma proposta “que se define a partir de um conceito muito forte e claro: a relação bosque-clareira”. O trabalho do atelier Baldios, coordenado pela arquitecta paisagista Catarina Raposo, obteve o 3.º prémio, em que “a proposta de um elemento aqueduto produz uma clara ligação entre o troço norte e o sul”.

O Júri, composto pelo engenheiro João Carvalhinho, pela arquitecta paisagista Maria de Fátima Rebelo de Andrade, pelo engenheiro Luís Resende, pelo arquitecto João Teixeira Pires, indicados pela Câmara Municipal de Castelo Branco, e pelo arquitecto Rui Mendes, designado pela Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitectos, deliberou também atribuir duas menções honrosas aos trabalhos do atelier Sítio e Lugar, coordenado pela arquitecta paisagista Paula Simões, e da PROAP, coordenada pelo arquitecto paisagista João Nunes.

 

Premiados (clique nos nomes para visualizar os trabalhos)
 
1.º Prémio:
Arquitectura paisagista: Verónica Ribeiro de Almeida, Arquitecta Paisagista (coordenação)
Arquitectura: José Eduardo Marques
 
 
2.º Prémio:
Arquitectura: José Adrião, Arquitectos (coordenação)
Arquitectura paisagista: HAHA Arquitectura Paisagista
 
3.º Prémio:
Arquitectura paisagista: Baldios, Arquitectos Paisagistas (Coordenação)
Arquitectura: Atelier Embaixada e MB arquitectos
 
Menção Honrosa:
Arquitectura Paisagista: Sítio e Lugar, Sociedade de Arquitectos Paisagistas (Coordenação)
Arquitectura: Marlene Roque
 
Menção Honrosa:
Arquitectura Paisagista: PROAP, Estudos e Projectos de Arquitectura Paisagista (Coordenação)
Arquitectura: Juan Ignacio Zoilo Sanchez
 

A cerimónia de entrega de prémios realizou-se no dia 9 de Setembro e teve lugar no salão nobre dos Paços do Concelho, contando com a presença do Dr. Luís Correia, presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, a Dra. Ana Maria Pereira Abrunhosa, Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, o Arquitecto João Costa Ribeiro, vogal da OASRS e todos os membros do júri (mais informação aqui).

Documentação